Jessie Miranda

Minha foto
Até nas flores encontra-se a diferença da sorte; umas enfeitam a vida, outras enfeitam a morte!

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Jéssica Miranda, modelo famosa para Turcos? hahaha

Estava eu aqui em casa sem muito o que fazer, e para ver a quantas andam minhas fotos pela internet, fui como de vez em quando faço, procurar meu lindo nome no Google imagens....rs Passando pelas fotos conhecidas, as vi postadas em um link... digamos, estranho! ¬¬* rs
Sagitariana, curiosa que sou cliquei na bicha, e descobri que em algum lugar do mundo, acham que aqui no Brasil eu sou famosa.... hahahahaha Alguém avisa por favor as grandes produtoras do pais q o povo lá de fora, se interessa por mim? rs Dei um pint screen mas ficou pequeno o link está no marcadores aqui do blog Abaixo da imagem o texto da postagem no site!
To chique! Tradução do google rs: de turco para português!
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

São Paulo Fashion Week e a mais bela modelo Brasileira Jéssica Miranda
06 de Julho de 2009 18:19
Em 2009, envolvida No São Paulo Fashion Week, nós preparamos uma galeria muito especial que você pode encontrar as fotos de Jéssica Miranda.
Aqui está fotos muito especiais de uma famosa modelo Brasileira....
(aí abaixo a galeria) fala se não é para dar muita risada??
bjos pupilos

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

More Than Words

Minha mais nova/velha trilha sonora. Não tenho colocado muitas coisas aqui. Talvez, pq nesse exato momento não tenha muitas coisas para dizer. Mas acho que passar aqui para dizer o quanto estou feliz, é um ótimo e importante motivo para postar, mesmo sem ter algo de concreto para dizer... Sinto 2010 um ano MARAVILHOSO....
MORE THAN WORDS Nuno Bettencourt/ Gary Cherone

Saying I love you, Is not the words I want to hear from you It's not that I want you, Not to say, but if you only knew How easy it would be to show me how you feel, More than words is all you have to do to make it real, Then you wouldtn't have to say that you love me Cause I'd already know ♥ What would you do if my heart was torn in two? More than words to show you feel That your love for me is real What would you say if took those words away? Then you couldn't make things new Just By saying I love you.

......

Ai deu preguiça de escrever a letra toda!

bjins

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Monologo de João Palhaço

Já faziam 15 dias, que o Pavilhão Maravilha trabalhava no Serrado!
O povo com ansiedade, para ver tanta novidade atopetava o tabuado,
tinha gente dos Pinheiros, da Fazenda dos Barreiro, lá do alto do brotão do circo.
Pobre, pequeno e chamava tanta atenção, no trapézio tinha um moço rodava que nem pião, tinha um mico corriqueiro dava dez saltos no chão.
Tinha uma moça bonita, chamava Chiquita, e cantava com um violão.
Era tanta novidade, que o povo com voracidade, com as palmas tampava o espaço, e só se esvaziava com as gargalhadas de João Palhaço.
João Palhaço era levado, feioso, desengonçado, espirituoso nas piadas. Caía no chão sorridente, mostrando os tocos de dente, naquela boca chupada, seus cabelos quase brancos, a gente enxergava aos trancos a sua idade avançada.
Trabalhava com Chiquita, a moreninha bonita, sua esperança na vida e o que mais adorava, e todo o esforço que empregava por sua filha querida.
O dono da companhia, o velho seu Zacarias, era louco por Chiquita, por isso vivia amando, para moça se declarando só com palavras bonitas.
João Palhaço fraquejava, caboclo muito viajado começou a compreender, chamou sua filha querida: "Vamos deixar esta vida?" E deu toda a explicação.
Chiquita dando risada: "Meu pai, não vai acontecer nada, para o velho seu Zacarias, não dou atenção!
João Palhaço se condenava culpado pelo vício da mocinha, quantas vezes chorava, quando sua cara pintava no canto da barraquinha.
Era sábado de Aleluia, noite de muita buía, o circo estava lotado, grito para todos os lados, que nem berreiro de gado, "aperfurava" o espaço, e de toda boca se ouvia numa só voz que se repetia: "Venha logo João Palhaço!"
na Barraca de Chiquita alguma coisa esquisita, acabava de acontecer, o danado Zacarias, criminoso, sangue-frio, e picado de paixão, estrangulou a sua amada, com a fúria desesperada das onças lá do sertão. O povo inconsciente já reclamando impaciente, o princípio da função, a música toca um dobrado, que nem dobre de finado, tão triste de escutar.
Nisto entra João Palhaço com sua filha nos braços acabando de suspirar. E dentro do picadeiro olhando para o circo inteiro começou a gargalhar.
- RA RA RA!
Ri platéia, ri. Faça agora como eu faço, ri platéia ri, da desgraça de um palhaço!
Foi soltando o corpo frio de sua querida filha na dura terra do chão, ele rindo feito louco cravando pouco a pouco uma faca no coração. Caiu junto de Chiquita beijando sua face bonita, depois estremeceu.
Foi desgraçada sua sorte, mas foi sorrindo da morte, que João Palhaço morreu!